Do livro: Pense como um Freak

“«Estão loucos?», disse um dos executivos do Marketing. «É impossível retirarmos todos os anúncios em 20 mercados. O nosso CEO matava-nos.»
«Sim», disse outra pessoa, «ia ser como aquele miúdo em Pittsburgh».

Que miúdo em Pittsburgh?
Contaram-nos de um estagiário de verão que tinha ficado incumbido de encomendar os anúncios de domingo para os jornais de Pittsburgh. Por alguma razão, ele não cumpriu a sua tarefa e não fez os telefonemas. Por isso, a empresa não colocou anúncios o verão inteiro numa grande parte de Pittsburgh. «Sim», disse um dos executivos, «quase fomos despedidos por isso».

Então e o que é que aconteceu às vendas da empresa em Pittsburgh nesse verão, perguntamos nós?

Olharam para nós, depois uns para os outros – e, timidamente, admitiram que nunca lhes ocorreu verificar os dados. Quando foram verificar os números, descobriram algo chocante: a ausência de anúncios não tinha afectado em nada as vendas de Pittsburgh!
Isto sim, é um feedback valioso. A empresa pode muito bem estar a desperdiçar centenas de milhões de dólares em publicidade. Como é que os gestores podiam ter a certeza? Essa experiência nos 40 mercados seria um passo importante para responder a essa pergunta.
E então perguntámos-lhes, estão prontos para fazer agora?
«Estão loucos?», disse outra vez o executivo de marketing. «Éramos despedidos se fizéssemos isso».

Até hoje, todos os domingos, em todos os mercados, a empresa ainda paga publicidade no jornal – apesar de terem como único feedback que os anúncios não funcionam.” 

(Pense como um freak: Como pensar de maneira mais inteligente sobre quase tudo na vida – Steven D. Levitt, Stephen J. Dubner)

Leave a Reply 0 comments