Fazer o que não gostamos

Quando pertencemos a uma organização devemos encontrar um equilíbrio entre o que gostamos de fazer e aquilo que a organização necessita num determinado momento. 

Se fazemos apenas o que queremos, podemos não conseguir encontrar o nosso espaço dentro da equipa de trabalho, se por outro lado só fazemos coisas das quais não gostamos, poderá existir um desfasamento entre as nossas expectativas e as expectativas da empresa, para determinada função. 

Partindo do princípio que não estamos em nenhum dos extremos, equilíbrio e reciprocidade devem ser duas palavras a ter em conta.

Dar o melhor melhor às organizações para as organizações nos retribuirem com o seu melhor. 

Leave a Reply 0 comments