Gestão pessoal

O tempo é hoje o nosso maior activo, pode ser aplicado para estar com a família, para desenvolver novas competências, para viajar, para trabalhar ou simplesmente para não fazer "nada". 

A forma como gerimos o tempo influencia a nossa capacidade para cumprir desafios ou a quantidade de objectivos que podemos atingir num determinado espaço temporal. 

Gestão Pessoal da Harvard Business Review é um excelente livro para quem pretende gerir melhor as suas tarefas diárias e consequentemente o tempo disponível de que dispõe. 

O local de trabalho é um dos lugares onde é mais difícil exercer uma boa gestão pessoal, o exemplo que se segue é retirado do livro que mencionei e demonstra como podemos ser influenciados negativamente, sem darmos por isso!

"Imaginemos que um gestor está a andar pelo corredor e repara que uma das suas subordinadas , Jones, vem na sua direcção. Quando os dois se encontram, Jones saúda o gestor com um <<Bom dia. A propósito, temos um problema, Sabe...>> À medida que Jones continua a falar, o gestor reconhece no problema exposto as duas características comuns a todos os problemas que os seus subordinados desnecessariamente lhe apresentam. Nomeadamente, o gestor sabe (a) o suficiente para se envolver, mas (b) não o suficiente para tomar a decisão que esperam dele, naquele momento. Por fim, o gestor diz: <<Fico contente por ter mencionado essa situação. Neste momento, estou com pressa. Entretanto, deixe-me pensar sobre o assunto e avisá-la-ei quando tiver uma resposta.>>

O que acontece aqui é um colaborador (subordinado) a passar um problema para as costas de outro colaborador (gestor). A partir deste momento quem tem que pensar no problema é o gestor e não aquele que o criou ou estava incumbido de encontrar uma solução.

Diariamente somos chamados a intervir em situações que não nos dizem respeito ou que estão numa fase na qual ainda não devemos participar,  cabe-nos estar atentos para perceber quando estamos a ajudar ou simplesmente ocupar o nosso tempo com as responsabilidades de terceiros.

Leave a Reply 0 comments